fbpx

Aplicativos gratuitos podem ser mais lucrativos que os premiums

Postado em 30 de setembro de 2019.

Sem tempo para ler o artigo inteiro? Aperte o play e ouça a versão em áudio.

No momento de contratar algum serviço ou comprar algo, os clientes costumam buscar sempre o mais barato. Isso não é diferente no mundo digital: os aplicativos gratuitos são os mais procurados no momento de definir a ferramenta que facilitará algumas tarefas do dia a dia.

Isso acontece porque a maioria dos consumidores não vê vantagens em pagar por um serviço que sequer conhece, além de acreditar encontrar funções iguais em aplicativos 100% gratuitos.

A quantidade de downloads de 2018 – cerca de 113 bilhões – mostra como as pessoas estão cada vez mais se tornando dependentes de seus smartphones para pequenas tarefas. Isso torna os apps um vantajoso negócio, mas como monetizar app gratuito?

De olho nos dados

Antes de fazer um investimento é necessário analisar o mercado. Só no Brasil, o consumidor passa diariamente, em média, três horas em aplicativos online. Esse tempo está 20 minutos acima da média mundial.

O dado acima revela que o mercado dos apps está fértil principalmente no Brasil e, sabendo utilizar as técnicas de mobile marketing e App Store Optimization, seu aplicativo, mesmo que gratuito, pode se tornar uma fonte de renda vantajosa.

Razões para investir no gratuito

Os dados apontam que, com tantas opções disponíveis, o cliente vai buscar sempre as versões sem custo do aplicativo. Afinal, com a quantidade de apps usados – e buscados – diariamente, pagar por cada um seria desembolsar uma pequena fortuna, no final das contas.

No caso de aplicativos freemium, é importante que o serviço gratuito seja de qualidade e, também, não esteja disponível apenas para teste. Afinal, se a versão free for por tempo indeterminado, o aplicativo automaticamente se torna gratuito para o usuário.

Dessa forma, o cliente não se sente pressionado a ter que pagar pelo aplicativo. Assim, as chances de ele acabar mudando de ideia e pagando algum valor pelo serviço, mesmo que seja para acabar com os anúncios, são muito maiores.

Monetização de aplicativos gratuitos

A maioria dos aplicativos presentes em um smartphone são gratuitos. Isso mostra que é possível faturar sem ter que cobrar por todos os serviços. Aliás, cobrar pelo app pode resultar em diminuição de download, uma vez que é possível encontrar versões free da função oferecida.

Publicidades em formatos de vídeos e banners serão a forma de faturamento dentro de um aplicativo 100% gratuito. Esse marketing deve acontecer de forma rentável e também moderada para que o usuário não se sinta aborrecido.

Outra opção de apps gratuitos com monetização são os aplicativos freemium. Nele, o usuário tem a possibilidade de utilizar diversos serviços gratuitos, tendo a opção de pagar apenas por alguns benefícios para assinantes. Um exemplo clássico são os streamings de música.

Popularidade

Um aplicativo gratuito tem que ser necessariamente popular para conseguir atingir seu objetivo: o lucro. Essa popularidade, que deverá ser maior que a dos apps pagos, será sinônimo de qualidade para os usuários, mostrando que para ter um serviço eficiente não é preciso pagar.

Para isso, é necessário um branding eficaz, somado a um ASO qualificado. Essas estratégias unidas farão com que você fique melhor posicionado nas Stores e também seja visto com mais facilidade. Além disso, a credibilidade de sua marca será maior.

A popularidade é de suma importância para quem quer ter um aplicativo gratuito como teste. Ela define se o público aceitaria comprar seu app se, algum dia, ele passar a ser pago. O feedback dos usuários permite que você avalie as melhorias para uma possível versão freemium, também.

RankMyAPP te ajuda com apps

Aqui você encontra especialistas disponíveis para tirar suas dúvidas e, também, dar dicas personalizadas para o seu negócio. Assine nossa newsletter para receber dicas de como melhorar seu negócio! Não deixe de acompanhar o RankMyAPP!