fbpx

Gamificação: razões para apostar na técnica

Postado em 23 de outubro de 2019.

O gosto pela competição e o prazer em receber recompensas por feitos é algo da natureza humana. Pensando nisso, aplicativos começaram a adotar a gamificação, estratégia que tem se mostrado eficaz em prender a atenção dos consumidores. 

A tática, que consiste em utilizar elementos de jogos — pontuações, recompensas e cumprimento de tarefas em formato de desafios — está muito presente em aplicativos como forma de fidelização de seus usuários. Entenda melhor a seguir.

Gamificação antes dos apps

A gamificação é uma técnica muito utilizada na educação, especialmente no ensino de crianças em fase de alfabetização. O conjunto de elementos de jogos com deveres faz com que a atividade deixe de ser algo maçante e se torne divertida.

Isso não muda na fase adulta. A técnica ainda se mostra muito eficiente, uma vez que alimenta a sensação de superação e realização pessoal por meio de recompensas. Mesmo os prêmios mais simples, como o rankeamento, já são uma forma de reconhecimento e alívio de estresse.

Devido a esses fatores, a gamificação nas empresas se tornou uma eficiente ferramenta de marketing, marcando presença em sites e aplicativos. A técnica fideliza seus usuários, além de atrair outros novos.

Alguns exemplos de apps que se utilizam de gamificação:

  • Nike Plus: registra o desempenho de seu usuário em atividades físicas, como quilômetros corridos, que podem ser compartilhados nas redes sociais. Aqui, o app trabalha com o sentimento de superação e satisfação;
  • Duolingo: utiliza técnicas de desbloqueio de fases, muito comuns em games digitais. Conforme o usuário tem bom desenvolvimento em determinada lição, novos níveis são liberados. Dessa forma, ele se sente desafiado a superar seus próprios limites intelectuais,  
  • Waze: o GPS trabalha com o sistema de rankeamento, em que um usuário ganha pontuações por informar sobre congestionamentos, acidentes em vias e desvios. Dessa forma, o usuário se sente reconhecido por sua contribuição.   

Não é um jogo

Apesar de utilizar técnicas de games, isso não quer dizer que os aplicativos de gamificação sejam jogos. De acordo com dados divulgados no Opusphere, 75% da técnica trabalha com a psicologia e apenas 25% com a tecnologia.

Além disso, a gamificação dos aplicativos contribui para o aumento de habilidades dos usuários (14%) e conhecimentos gerais (11%). Por oferecerem tantos benefícios intelectuais de maneira leve e agradável, os apps têm aumento de 9% nas taxas de retenções.

Tipos de gamificação

Não basta saber o que é gamificação. É necessário, assim como em todas as estratégias de marketing, que ela seja baseada em estudos feitos no seu público-alvo.

Isso porque existem dois tipos de gamificação: a analógica e a digital. É preciso saber qual das duas se encaixa melhor no perfil dos usuários do seu aplicativo para que, assim, a técnica seja aplicada com sucesso.  

Gamificação analógica

Tem como base os jogos de tabuleiros, como dama, xadrez, Banco Imobiliário e Detetive. Suas técnicas podem ser aplicadas com o objetivo de alimentar o espírito do trabalho em equipe.

A principal vantagem desse tipo de gamificação é a possibilidade de despertar um sentimento nostálgico em quem teve contato com essas atividades, além do sentimento de novidade em quem nasceu no mundo tecnológico. 

Um famoso exemplo de gamificação analógica foi o utilizado pelo rapper Jay-Z, em 2010. Durante o lançamento de sua biografia, o astro espalhou folhas de seu livro por lugares que costuma frequentar, como restaurantes e parques. 

Quem achasse o maior número de folhas, ganharia ingressos vitalícios para seus shows. A técnica foi baseada no jogo caça ao tesouro e, mesmo com todas as informações sendo divulgadas virtualmente, as ações foram realizadas fora das telas dos smartphones e em grupos.

Gamificação digital

Esse formato é encontrado em aplicativos de e-commerce e organizadores de tarefas. É inspirado em games mais sofisticados, que prendem a atenção do jogador pelos seus gráficos ricamente elaborados. Ele oferece uma dinâmica maior devido a seus recursos multimídia e por ser utilizado em dispositivos eletrônicos.

Devido às suas características, é muito mais simples de aplicar e ser aceito em aplicativos, além de atingir um número maior de pessoas, especialmente da geração Z.

Razões para investir na gamificação

As plataformas digitais são as que mais se utilizam da gamificação. Aqui, o objetivo é fidelizar o cliente, chamando a atenção dele para as funcionalidades do aplicativo/site, os produtos e serviços disponíveis e, em troca, dar recompensas. 

Um famoso exemplo de gamificação com recompensas reais são os programas de milhas. Eles fazem com que o cliente tenha vontade de utilizar determinado cartão de crédito porque, com sua pontuação, é possível ganhar descontos ou até passagens aéreas.

No entanto, as recompensas intangíveis, que são mais voltadas para as realizações pessoais, com superação de recordes, por exemplo, também são muito eficazes quando o assunto é fidelização. 

Técnicas como limite de uso, liberação de funções e registro de superação pessoal são funções que instigam a volta do usuário ao aplicativo. 

Um exemplo é o Tinder. Por dia, o usuário tem direito a um superlike, que é uma ferramenta liberada apenas para assinantes do serviço. Essa recompensa é oferecida a quem usa o aplicativo constantemente, fazendo com que seu acesso seja diário.

Gamificação na prática

Com o conceito de gamificação esclarecido, é hora de aplicá-lo ao seu negócio e desfrutar de todas as vantagens oferecidas pela técnica. Para isso, não deixe de assinar a newsletter do RankMyAPP e ficar por dentro de mais novidades sobre o tema.