Como funciona o ranking das app stores?


Inspirados no texto do Alex Walz, “Resultados de Testes e Estatística”, resolvemos compartilhar com vocês alguns dos estudos e suas hipóteses sobre como funciona a dinâmica do ranking para aplicativos nas app stores.

Sabemos como o trabalho de ASO é importante para ter um bom posicionamento no ranking e gerar mais conversões. Por isso, esse texto pode ajudar a definir suas estratégias de marketing mobile e ter sucesso com o seu app.

Volatilidade de ranking nas app stores

O primeiro estudo do autor do texto se baseou em cinco aplicativos que ele usava com muito frequência.

Todos eles posicionados estavam minimamente até o número 500 no ranking das app stores, atingindo grande gama de categorias e muito parecidos tanto para iOS quanto para Android.

Os aplicativos escolhidos foram o Lyft, Venmo, Duolingo, Chase Mobile e LinkedIn,representando as categorias de viagem, finanças, educação, banco e redes sociais.

Analisando os cinco, ele chegou à conclusão que há mais volatilidade nos rankings da Apple Store, baseando-se em duas estatísticas:

  • aplicativos de Android recebem muito mais avaliações do que aplicativos para iOS e, portanto, o peso de cada avaliação individual iria gerar um impacto menor no Google Play do que na Apple Store,
  • o Google Play não grava uma avaliação média exclusiva da versão atual do aplicativo. Ou seja, avaliações não são reiniciadas após cada atualização do aplicativo. Então, avaliações menos voláteis para o Android significam rankings menos voláteis para o Google Play.

Em uma análise geral, comparando todas as listas de top apps, os rankings da Apple Store são 4,45 vezes mais voláteis do que os do Google Play.

Rankings da app store de acordo com as estrelas

Esse estudo observa a relação entre posicionamento e avaliações em estrelas. O objetivo é determinar quais tendências diferenciam app bem rankeados do restante. Assim, é possível determinar quaisquer vínculos com a volatilidade do ranking da app store.

Entre as listas de top aplicativos, a média de avaliações de um aplicativo do top 100 para Android foi de 4.319; a média para os top aplicativos para iOS foi de 3.935.

As avaliações estão respectivamente 0.32 e 0.27 pontos acima da média de todos os aplicativos avaliados em cada store.

A média de avaliações entre os aplicativos nas posições de 401 a 500 fica aproximadamente no meio do caminho entre as avaliações dos app das listas top e os aplicativos comuns.

A distribuição das avaliações nos aplicativos das listas top no Google Play foi consideravelmente mais compacta do que a distribuição nos aplicativos para iOS.

O desvio padrão das avaliações na lista de top apps da Apple Store foi mais de 2,5 vezes maior do que na lista de top apps do Google Play. Isso provavelmente significa que as avaliações têm mais peso no algoritmo do android.

Em ambas as stores, aplicativos com posições mais altas no ranking tendem a apresentar um volume de avaliações que ultrapassa em muito o encontrado em aplicativos comuns.

O ranking de acordo com os funcionários ativos mensalmente

Esse estudo se baseia no papel da popularidade de um aplicativo sobre seu ranking. Em um mundo ideal, tal fator seria medido por meio da quantidade de usuários ativos por mês (MAUs) de um aplicativo.

Porém, já que poucos desenvolvedores de aplicativos móveis revelaram esta informação, foram usados dois proxies disponíveis publicamente: volume de avaliações e quantidade de instalações.

A primeira descoberta salta aos olhos porque aplicativos para Android receberam mais avaliações do que aplicativos para iOS – 15,8 vezes mais, na verdade.

Um aplicativo qualquer no top 100 do Google Play teve, em média, espantosos 3,1 milhões de avaliações, enquanto um aplicativo no top 100 da Apple Store teve cerca de 196 mil avaliações.

Em contraste, aplicativos nas posições de 401 a 500 (que ainda são aplicativos tremendamente bem-sucedidos, em comparação a 99.96% de todos os aplicativos) tendem a ter entre um décimo (Android) e um quinto (iOS) do volume de avaliações recebido pelos aplicativos no top 100.

Considerando que quase dois terços dos aplicativos não recebem nem uma única avaliação, receber volumes de avaliações tão altos é um grande feito, e um indicador muito forte da influência do volume de avaliações sobre o algoritmo de ranking das app stores.

Com essa pesquisa e hipóteses criadas por Alex Walz, fica clara a importância da otimização do aplicativo por meio de App Store Optimization para observar resultados e bons posicionamentos no ranking.

Isso porque, existem diversos fatores por trás de um app bem rankeado. E, para isso, conte com o apoio do RankMyApp para otimizar seu app. Tenha acesso ao nosso e-book que tem um guia completo de ASO e reviews!

E-Book grátis: ASO e Reviews

E-Book grátis: ASO e Reviews

:

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *