Início » Metaverso e Realidade Aumentada – Como essa realidade poderá afetar o mercado de aplicativos
metaverso e realidade aumentada

Metaverso e Realidade Aumentada – Como essa realidade poderá afetar o mercado de aplicativos

“Talvez isso soe como ficção científica”, diz Mark Zuckerberg em evento de apresentação do rebranding do Facebook que agora se chama Meta. “Nos próximos cinco ou dez anos muitos de nós estaremos criando e habitando mundos tão detalhados e convincentes como esse aqui.”

Qual o conceito de metaverso?

Metaverso é a terminologia utilizada para uma espécie de nova camada da realidade que busca integrar os mundos real e virtual através de dispositivos digitais. Na prática, é um ambiente virtual imersivo construído por meio de diversas tecnologias. Assim, a Realidade Virtual, Realidade Aumentada, hologramas e Internet 5G são considerados os alicerces para o Metaverso. 

Apesar de o termo ter sido usado pela primeira vez em 1992 na obra “Nevasca”, de Neal Stephenson, o termo ganhou os holofotes dos entusiastas da tecnologia a partir de 2021, depois que Mark Zuckerberg anunciou a mudança de nome e pensamento da sua empresa Meta, que até o momento se chamava Facebook.

Portanto, como podemos perceber ao analisar os dados do Google Trends, houve um aumento expressivo na busca pelo termo “Metaverso” no Brasil e “Metaverse” no mundo após o anúncio.

Gráfico

Descrição gerada automaticamente com confiança média
Gráfico

Descrição gerada automaticamente

Como podemos observar, as pesquisas no Google aumentaram substancialmente após o pronunciamento de Zuckerberg no mês de outubro. Isso se deve à curiosidade dos internautas sobre o tema, já que este promete influenciar muito o mercado de tecnologia. 

Podemos verificar ainda assuntos relacionados ao Metaverso de duas maneiras:

Interface gráfica do usuário, Texto, Aplicativo

Descrição gerada automaticamente

Hashtags do Instagram

0

Como podemos observar, o Metaverso está intimamente relacionado com as Criptomoedas e NFTs. Ambos aparecem nos dois métodos de busca. Mas esses assuntos serão abordados mais profundamente em um estudo do RankMyAPP que será lançado em breve.

O Metaverso pretende eliminar as fronteiras entre o mundo físico e o digital, e foi listada pelo Jornal Valor Econômico como uma das principais tendências tecnológicas para 2022 . 

Acredita-se que os usuários poderão imergir em universos virtuais, na pele de avatares, e trazer imagens e dados digitais ao mundo concreto, sendo capaz de interagir com essas informações digitais.

Visto como o próximo paradigma da computação, o Metaverso promete revolucionar a maneira como vivemos e interagimos virtualmente, inclusive no mundo corporativo. Segundo Bill Gates em um texto escrito em seu blog, mostrando suas expectativas com as tecnologias que estão surgindo, nos próximos dois ou três anos, a maioria das reuniões virtuais ocorrerá no Metaverso.

Contudo, antes de explorarmos mais a fundo, precisamos entender melhor outra tecnologia que citamos como um dos alicerces do Metaverso: a Realidade Aumentada.

Realidade Aumentada e o mercado de aplicativos

A realidade aumentada é uma tecnologia que permite sobrepor elementos digitais à nossa visão da realidade, ou seja, buscar objetos digitais e fazer com que consigamos enxergá-los no mundo físico. Isso permite uma interação físico-virtual muito grande, pois tira a limitação por tela que possuímos atualmente.

Essa tecnologia é acessada através de óculos, lentes e aparelhos especiais para que possamos enxergar os objetos e cenários. Já existem muitas aplicações da Realidade Aumentada, como por exemplo na medicina e engenharia: exibindo informações e detalhes adicionais no campo de visão do usuário. Outra aplicação é na hidrologia, ecologia e geologia, mostrando informações específicas e detalhadas sobre o terreno ou mapas tridimensionais.

Como essas tecnologias irão moldar a forma como consumimos?

As empresas já vêm notando essa mudança no paradigma computacional e interativo que estamos vivenciando. A Nike, por exemplo, já vem se adiantando no Metaverso vendendo tênis exclusivamente para avatares digitais. Assim como podemos utilizar ferramentas que encaixam uma roupa no nosso corpo através de uma câmera para experimentarmos como a roupa vai ficar antes mesmo de comprar, e tudo isso sem sair de casa. 

O consumidor está sempre buscando maneiras de maximizar sua satisfação. Quando mudamos os paradigmas tecnológicos, a sociedade, em grande parte, acompanha essa mudança. O sistema financeiro, comércios, comportamento e consumo mudam conforme mudanças tecnológicas acontecem. E não vai ser diferente no Metaverso.

O Metaverso vai desbloquear uma nova maneira de consumir produtos e serviços. Portanto, muitos produtos que eram apenas no mundo físico, serão levados ao mundo virtual e utilizados somente lá, criando um novo mercado a ser explorado.

Quais os impactos para o mercado de aplicativos

Os produtos que utilizaremos para obtermos objetos de realidade aumentada e navegar no Metaverso, se darão através de hardwares e softwares que realizarão essas tarefas. E os apps cumprem bem essa função de levar softwares acessíveis ao público. 

Portanto, o foco numa boa experiência do usuário e segurança farão toda diferença na corrida do mercado mobile ao Metaverso. Isso porque muitos usuários precisam de facilidade e segurança na utilização das ferramentas para realizar tarefas. 

O Metaverso promete revolucionar a maneira como interagimos com o mundo virtual, trazendo uma conexão imersiva com o mundo físico, e para isso utilizará a Realidade Aumentada como um dos seus pilares. Essa mudança afetará diversos setores, e como consequência, os aplicativos desses setores. Varejo, marketing, games, redes sociais são apenas alguns exemplos de segmentos que serão fortemente impactados por essa inovação tecnológica. 

Portanto, conseguir se adiantar frente aos concorrentes e trazer soluções inovadoras pensando no Metaverso pode sim trazer uma vantagem competitiva para empresas que desejam destacar seus aplicativos.