fbpx

Evolução do celular: como o smartphone se tornou um aparelho indispensável?

Postado em 19 de agosto de 2019.

Sem tempo para ler o artigo inteiro? Aperte o play e ouça a versão em áudio.

Você já se imaginou sem esse aparelhinho que está em suas mãos neste exato momento? Sim, o seu smartphone. É incrível pensar que há pouco mais de uma década, em meio a constante evolução do celular, ele estava longe da popularidade e importância atual.

Hoje, junto a outros avanços tecnológicos, o smartphone é um dos grandes responsáveis por modificar a forma como vivemos e trabalhamos. Por isso, vamos relembrar a história do celular e entender o momento exato em que ele se tornou indispensável para milhões de pessoas no mundo.

Onde tudo começou

Um verdadeiro tijolão! O apelido para os primeiros modelos de telefones portáteis nunca fez tanto sentido para o primogênito. Criado pela Motorola, com a chefia do então engenheiro, Dr. Martin Cooper, o DynaTAC foi mostrado ao público em 1973 para fazer história.

Com 1,1 kg e 25 cm de comprimento, o modelo foi responsável por realizar a primeira ligação portátil. Porém, essa versão não foi comercializada. A primeira venda de um celular aconteceria apenas 11 anos depois, em uma versão melhorada do aparelho da Motorola.

Chamado de DynaTAC 8000X, a versão comercial pesava 793 gramas e tinha 33 cm de altura. O preço à época era de US$ 3.995. Já a duração da bateria, assunto que rende debates até nos modelos atuais, era de 1h de conversação e 8h em modo de espera.

O primeiro smartphone

Há 25 anos, o Simon surgia como o primeiro smartphone no mundo. Bom, à época, nem mesmo a fabricante dele, a IBM, o considerava assim, até porque o termo ainda não fazia parte do nosso vocabulário e só surgiria alguns anos depois.

Mas o fato é que este aparelho celular é considerado o avô dos modelos atuais que conhecemos. Apesar de possuir recursos bem limitados, era possível enviar e receber chamadas, receber mensagens de pager e trocar e-mails.

Outras funções como calendário, lista de contatos e calculadora também estavam disponíveis. Era possível até mesmo enviar e receber o – já extinto – fax, a partir de uma tela LCD touchscreen que possuía 4,5 por 1,5 polegadas.

A chegada do iPhone

Pulamos para o novo milênio. Em 2007, um senhor chamado Steve Jobs, apresentava para o mundo o seu novo invento da marca da maçã: o iPhone. A partir dali, nestes últimos 12 anos, nada mais foi como antes e a evolução dos smartphones aconteceu de forma cada vez mais acelerada.

Em um mercado que já conhecia o primeiro telefone bluetooth em 2000, já tinha estabelecido os aparelhos BlackBerry, que surgiram em 2002, e já oferecia aparelhos com câmera fotográfica, o primeiro iPhone, antes de ser lançado, não despertava medo em seus principais concorrentes. Pena de quem duvidou.

O aparelho da Apple unia algumas das principais qualidades de um computador para dentro de um aparelho telefônico, com a segunda versão do seu sistema operacional, conhecido como iOS.

Além disso, a marca revolucionou a forma como interagimos com os celulares. Os teclados convencionais, com botões, deram lugar para uma experiência que beirava a ficção, com a tela touchscreen multi-touch de incríveis 3.5 polegadas – um número extravagante para a época.

Nela, os usuários tinham a possibilidade de comandar as funções do aparelho com as pontas dos dedos, podendo esticar/encolher imagens, folhear álbuns como se folheava livros, etc.

Críticas e desconfiança geraram dúvidas sobre o aparelho da Apple, mas a história já estava sendo feita. O design do iPhone serviu de inspiração para praticamente todos os seus rivais que surgiriam em sequência.

Já a App Store mudou a forma de como eram pensadas as lojas de aplicativos. A partir do modelo da Apple, os softwares deixaram de ser o principal quesito para a escolha de um celular e ganharam a companhia dos aplicativos.

A vez do Android

No ano seguinte, em 2008, surgia a primeira versão do sistema operacional Android. Ele veio acoplado em um HTC Dream, um modelo que possuía cinco botões abaixo da tela, dois laterais e um teclado QWERTY deslizável atrás da tela de 3.2 polegadas.

O aparelho foi uma resposta da Google para o lançamento da Apple e fugia do design convencional que a marca utilizava em seus modelos BlackBerry, que tinham grande popularidade entre as pessoas.

Atualmente, o Android é o sistema operacional mais utilizado no mundo. A Google Play, loja de aplicativos do Google, possui o maior número de apps. Ao lado da App Store, as duas concentram a maioria dos aplicativos existentes.

O que esperar do futuro

Com tanta evolução em tão pouco tempo de vida, muitos especialistas em mobile se perguntam quais serão os próximos inventos. A cada ano que passa, surgem smartphones com gerações ainda mais tecnológicas e desempenhando cada vez mais funções, tornando difícil prever o que pode surgir no futuro.

De qualquer maneira, aos poucos, vemos mudanças acontecendo e novas possibilidades surgindo. Os relógios inteligentes, ou smartwatches, por exemplo, atualmente, funcionam como um espelho do seu celular.

Esteja sempre atualizado!

Toda essa evolução do celular, nas últimas décadas e, principalmente, nos últimos anos, tornou o smartphone em um aparelho indispensável para o nosso dia a dia. Por isso, nós, do RankMyApp, procuramos sempre estar atentos às transformações digitais.

Para que você receba todas essas informações em primeira mão e ainda ganhe convites exclusivos para os nossos eventos de mobile, basta assinar a nossa newsletter.

: