Início » Usabilidade: o que é, conceito e para que serve
Pessoas trabalhando em uma mesa, com notebook aberto e exemplos de tela de celular

Usabilidade: o que é, conceito e para que serve

A usabilidade, em síntese, significa aquilo que promove o uso mais fácil das coisas seja ferramentas ou produtos. É a partir dela que você saberá se os usuários conseguem localizar as funções e entendê-las de forma rápida. 

No cenário dos apps, assim como em outras tecnologias de software, as ferramentas são os sistemas que os usuários utilizam para executar as tarefas. É a comunicação e interação direta entre a interface do aplicativo e o usuário. Caso haja problemas nesse sentido, é sinal de falha na usabilidade.

Por isso é sempre bom ficar atento, estudar e  corrigir imediatamente esses problemas. Até porque, muitas coisas passam a não ser mais tendência, porém a usabilidade nunca sai de moda. 

Quer saber mais sobre a usabilidade? Então continue a leitura deste artigo. É através dele que você vai entender a definição do termo e sua importância para o sucesso do seu aplicativo. Venha com a gente. 

Esses erros podem ser muito prejudiciais para seus produtos. No caso de aplicativos, acaba gerando inúmeros comentários negativos, afetando diretamente o número de downloads. 

Qual o significado de usabilidade?

Utilização com eficiência, com aprendizado fácil e simples. A usabilidade pode se resumir a essas características, pois trata-se da capacidade de um sistema em fazer com que os usuários consigam desempenhar as tarefas sem dificuldades. 

Em outras palavras, é um conjunto de técnicas envolvendo recursos visuais e programação, com o objetivo de dar ao app a capacidade intuitiva necessária para que os usuários entendam as funcionalidades. 

A usabilidade é um dos pontos mais responsáveis pela aceitação ou não do aplicativo pelo público, pois tem como um de seus objetivos proporcionar uma boa experiência aos usuários. Sendo assim, uma usabilidade ruim acaba causando desencantamento.

 No caso de aplicativos, uma usabilidade comprometida acaba gerando inúmeros comentários negativos, afetando diretamente o número de downloads. 

A importância da usabilidade nos apps

Duas pessoas trabalhando com celulares e esboços de telas de smartphones em cima de uma mesa

A usabilidade é o tempo de resposta que o dispositivo dá quando alguma função do app é acionada. Isso pode levar o produto para dois caminhos: o do sucesso ou o do fracasso. Afinal de contas, ninguém quer mexer com um app complicado, burocrático e confuso em sua comunicação. Provavelmente o usuário irá desinstalar o app do smartphone.

Portanto, usabilidade não é apenas algo que fornece facilidades e, sim, diz respeito ao grau de satisfação do consumidor. 

Não basta que seu aplicativo seja simples de mexer, mas também é preciso oferecer aquelas funções que o cliente busca e ser atrativo esteticamente. Caso contrário as chances dos usuários trocarem o seu produto pelo da concorrência é grande. 

Lembre-se que o comportamento dos consumidores de produtos digitais se difere dos que buscam produtos em lojas físicas, que podem retornar em outro dia caso não gostem dos produtos expostos. No mundo digital o que mais conta é a experiência e os usuários são movidos por ela. Isso inclui um layout bonito, organização e uma linguagem que consiga conversar com ele. 

Dito isso, chegamos a conclusão de que a usabilidade é um dos principais pontos de retenção de clientes. Em um cenário altamente competitivo, como é o caso do digital, é fundamental que seu produto tenha uma usabilidade boa e eficiente para não perder clientes para sempre, fortalecendo seus concorrentes. 

A usabilidade e experiência do usuário

O conceito experiência do usuário (UX) e usabilidade andam juntos durante o processo de levar maior satisfação ao cliente.

 Como explicamos em tópicos anteriores, a usabilidade é a capacidade do sistema interagir da melhor forma com o usuário, fazendo com que ele consiga realizar suas ações dentro do app de forma eficiente. Por isso que o conceito de experiência do usuário está totalmente ligado à usabilidade. 

Mesmo que a ideia do aplicativo seja boa e criativa, se o usuário não conseguir realizar as tarefas ou tiver dificuldades, não atendendo suas expectativas, sem dúvidas o produto irá perder valor e não permanecerá no mercado por muito tempo. 

e-book mobile growth

Em outras palavras, a usabilidade tem o papel fundamental de alicerce na experiência do usuário, que por sua vez é o todo. Trata-se da  percepção e as sensações gerais dos clientes enquanto utilizam o app. 

Como desenvolver uma boa usabilidade?

Dois homens trabalhando e analisando projetos na tela de um tablet

Para que um aplicativo tenha uma usabilidade eficaz, que proporcione uma experiência positiva aos usuários, gerando performance, é necessário cumprir alguns pontos imprescindíveis. Além disso, sempre é bom, durante ou depois do desenvolvimento do projeto, a equipe se questionar se esses itens estão de acordo. Veja quais são os principais. 

Ser Eficiente

É fundamental que a usabilidade seja eficiente. Para isso, agilidade, organização e clareza na interface contam bastante. São esses fatores que vão ajudar as pessoas a conseguirem realizar os comandos no app. As respostas do sistema para as ações precisam ser rápidas e com o mínimo de cliques. 

Sistema com memorização

Não é nada bom se os usuários precisam reaprender a utilizar o aplicativo novamente. Acaba se tornando um problema, pois é visto como perda de tempo. Por isso, um sistema com memorização é essencial. Comprova que o sistema do app é intuitivo e mesmo que a pessoa resolva mexer no aplicativo depois de meses, ela vai conseguir, automaticamente, entender os comandos.  

Utilidades 

Para uma melhor usabilidade, a interface de um app também deve oferecer um leque de funções, suprindo as necessidades e expectativas dos clientes. Por exemplo: em um app de banco, o cliente não espera apenas fazer ou receber transferências. Somado a isso, o app deve oferecer funções para ver o extrato, falar com o gerente, verificar a situação do cartão e outras funcionalidades. 

Sistema de fácil aprendizagem

O primeiro contato do usuário com o aplicativo é de  experiência e aprendizado. Portanto, nada de um sistema complexo de entender. Tudo deve ser bastante intuitivo e fácil de aprender. Caso contrário, você pode perder inúmeros clientes. Afinal, hoje em dia, muita gente tem o tempo, e ninguém quer interagir com um aplicativo que seja muito difícil de executar os comandos. 

Sistema seguro

Esse talvez seja o ponto principal. Ter um sistema seguro, além de significar proteção da informação e dados, evita que os usuários passem por algumas situações desconfortáveis e até perigosas enquanto utilizam o aplicativo. O principal objetivo é proteger dos possíveis  riscos e erros na interface, garantindo que os usuários tenham boa experiência com o app. 

Teste de usabilidade 

Agora que você já sabe o conceito de usabilidade, a importância e os principais pontos para que o cliente tenha uma melhor experiência, é hora de testar o aplicativo para ver se realmente tudo está correto. Separamos alguns métodos eficientes para você.

Teste moderado e não moderado

Pessoa segurando um tablet e na tela aparecendo esboços de telas de smartphones

O chamado teste moderado é feito da seguinte forma: Algum profissional da área da pesquisa aplica o teste aos participantes que irão utilizar o app, tira dúvidas e acompanha o processo. Através dessa comunicação com os pesquisadores, o teste moderado costuma fornecer resultados detalhados sobre o produto. Esse tipo de teste tem como objetivo entender o raciocínio da pessoa com relação ao app. 

Já o teste não moderado, visa entender alguma questão mais específica ou observar alguns padrões comportamentais. No entanto, apesar de ter sua eficácia e custar um valor menos  elevado, esse teste pode coletar respostas um pouco mais superficiais, justamente por não ter perguntas de acompanhamento e nem o contato direto com os profissionais da pesquisa. 

Teste remoto e presencial

Como o próprio nome já diz, o teste remoto é aplicado à distância, pode ser online ou por telefone. Apesar de  ser um teste considerado com uma profundidade não muito elevada, permite fazer entrevistas com  uma grande quantidade de pessoas, de muitas partes do país. 

No caso do teste presencial, é feito por uma pessoa pesquisadora em experiência do usuário. Um fator interessante, é que presencialmente é possível analisar o comportamento corporal e linguístico dos participantes. São coisas que acabam virando informações extras.

Teste de avaliação e exploratório

O teste de avaliação é um método utilizado para saber como está a funcionalidade do produto de maneira geral, se a pessoa está ou não sabendo usar o app. 

Já na pesquisa exploratória, usuários são convidados a participar de um debate sobre o produto. Geralmente esse tipo de teste é realizado ainda nos estágios iniciais do projeto, ajudando os desenvolvedores a observarem o mercado e , assim, terem ideias inovadoras.

Teste comparativo

 A pesquisa comparativa tem como objetivo encontrar respostas por meio da comparação do produto com a concorrência. A metodologia se baseia em pedir que os usuários indiquem qual aplicativo, por exemplo, gostam mais e os motivos. De acordo com os resultados, os desenvolvedores conseguem ter uma visão mais ampla de planejamento estratégico e também melhorias que precisam ser feitas. 

É importante salientar que todos esses tipos de teste trazem respostas interessantes para que o app possa entregar mais performance aos clientes. Isso porque , através do resultado das pesquisas, os profissionais que estão trabalhando no desenvolvimento do aplicativo podem pensar em melhorias e estratégias de marketing

E então, curtiu esse conteúdo que abordamos em relação ao conceito e a importância da usabilidade em aplicativos para uma melhor experiência do usuário? Para saber mais sobre esse e outros assuntos sobre o universo do marketing digital e aplicativos, assine nossa newsletter com conteúdos especiais. Também acesse o nosso blog para mais informações .